Advogado, você é um empreendedor

ZUEIRA

Se eu começar a conversar sobre empreendedorismo, gestão, planos de negócios e publicidade, muitos de vocês que são advogados torcerão o nariz ou, pelo menos, desistirão da leitura!

A verdade é que o advogado não gosta de saber que ele tem um negócio. Sim, advogado, você pode ainda não ter estudado gestão, pode não ter aprendido a se comportar num mercado agressivo e que clama por parcerias e organização, pode achar que publicidade não combina com sua gravata, mas mais cedo ou mais tarde você vai descobrir que o mercado é uma selva e é preciso estar preparado!

Advogado, você tem um negócio jurídico e não se fala mais nisso!

A sua vida acadêmica inteira você ouviu professores renomados, ex-ministros dos tribunais, grandes advogados dos maiores escritórios da sua cidade.

Eles tinham experiência nos casos mais clássicos, verdadeiros semestres inteiros resumidos em meia dúzia de peças e teses bem conceituadas. Parecia que ali você tinha tudo que precisava para ser um advogado de sucesso.

Mas o tempo passou e nem a OAB ou tampouco a universidade lhe disse que você tinha que entrevistar uma secretária, demitir uma secretária, treinar uma secretária.

Ninguém disse que precisava pagar a conta de telefone, de água, de luz, de internet. Aposto também que não lhe contaram que um bom escritório em um bom lugar na cidade pode custar em média R$ 3.000,00 mensais. Ninguém lhe contou do Marketing Jurídico, ninguém lhe explicou do porquê de se especializar em uma área se você ia acabar jogando oportunidades fora, logo você que teve aulas com advogados “full service” bem sucedidos!

O despertar do advogado

Se além de tudo você se desentendeu com seu sócio ou tampouco arrumou algum para te ajudar nessa árdua missão de empreender sem um parceiro para dividir esses problemas ou sem uma capacitação empresarial, eu lamento, mas você está fazendo isso errado!

Sua habilidade técnica de resolver os imbróglios jurídicos das pessoas ou das empresas está sendo desperdiçada. Se ainda assim você insistir na advocacia, mesmo com todos os problemas, o destino “mais confortável” de um bom advogado é acabar num plano de carreira de um bom escritório torcendo para não ser demitido a cada reestruturação.

Nesse cenário e na melhor das hipóteses, você conseguiria apenas 30% dos resultados que você alcançaria montando seu próprio negócio jurídico. É quando grita a pergunta que sempre esteve ali com você: “porque não abrir um escritório?”.

As boas notícias

A melhor hora para se tornar advogado é agora. Nos últimos anos, um bom advogado realizando um trabalho bem feito de Marketing Jurídico consegue alcançar o Brasil inteiro. Ferramentas como hangouts, skype e WebinarJam permitem uma possibilidade infinita de atendimento à distância.

A internet possibilita educar o público, o que significa estar presente na cabeça das pessoas que ainda precisarão de um advogado!

É preciso apenas entender que o Marketing Jurídico Digital é um trabalho de paciência, mas que é o que vai tornar o advogado uma autoridade na sua área e que isso poderá atrair inúmeros clientes, tudo dentro do código de ética.

Outra boa notícia é que maioria dos problemas que um advogado enfrenta na sua primeira iniciativa de montar seu próprio escritório são os mesmos problemas que a maioria dos empreendedores atravessam, mas com uma diferença: capacitação! O empreendedor em geral têm essa cultura intrínseca de se preparar antes de se aventurar num negócio.

A universidade e a OAB não preparam o profissional para os inúmeros desafios do mercado, mas o mundo está mudando!

A outra boa notícia é que uma série de iniciativas estão surgindo para ajudar o advogado a construir um caminho vitorioso na sua jornada de empreendedor. Uma dessas iniciativas é o curso “gestão e estratégia para advogados“, que visa orientar todas as ações na abertura de um escritório e ajudar o advogado a organizar os seus investimentos e enumerar suas capacitações.

Alternativas

Você entendeu que precisa de um bom plano de negócios, de estratégia para saber onde investir, precisa de Marketing Jurídico, mas as contas do escritório continuam chegando e o aluguel não irá esperar até que você se torne grande!

Felizmente, junto com outras iniciativas inovadoras para facilitar a vida do advogado empreendedor, existem conceitos chamados escritório virtual e coorworking.

O objetivo do escritório virtual é minimizar os custos fixos de um endereço para seu escritório e de suporte para seu trabalho, como telefonia, salas de reunião, secretária e etc.

O coworking é um conceito moderno que agrega um valor maior ao simples aluguel do espaço físico. Segundo o 4Legal, coworking é:

“… O coworking é um novo padrão de trabalho que incentiva a troca de ideias, o compartilhamento, o networking e a cooperação. O aspecto social é o grande diferencial do coworking, pois o networking estimula a geração de negócios…”

Ou seja, o coworking pode ser um espaço físico compartilhado a outros empreendedores, mas que por ser multidisciplinar, isto é, com capacidades distintas de soluções e de problemas, é um fomentador de negócios entre as partes.

Por: Sudamar Cerqueira

Você também pode gostar de

1 comentários

  1. Alojamiento web 2 anos atrás

    Quer voce queira, quer nao, se montou um escritorio de advocacia ou trabalha como profissional autonomo, voce e um empreendedor. E, como todo empreendedor, tem que lidar com a possibilidade do fracasso ou do sucesso.

    Responder Curtir Descurtir
Por 

Entar

Resetar sua Senha

Assinatura por Email